VOLTAR
Economia e Avaliação de Tecnologias em Saúde

Economia e Avaliação de Tecnologias em Saúde

Local

Ribeirão Preto - SP

Horário

Sexta-feira: 18 às 23h e Sábado: 8 às 18h
(1 final de semana por mês)

Duração

24 Meses

Investimento

25x de R$ 688,20**

 

O Curso

Curso de Pós-Graduação "Lato Sensu" em Economia e Avaliação de Tecnologias em Saúde

CERTIFICAÇÃO: Curso reconhecido pelo MEC com dupla certificação (acadêmica e profissional).

INÍCIO DAS AULAS: 
Ribeirão Preto - SP: 17/03/2017
Sede do IPEBJ - Av. Senador César Vergueiro, 505

APRESENTAÇÃO

A Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS) é um processo de investigação das conseqüências clínicas, econômicas e sociais da utilização das tecnologias em saúde. No Ministério da Saúde, a ATS é uma das atribuições da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, através da atuação do Departamento de Ciência e Tecnologia, com o objetivo de institucionalizar a ATS no SUS. Entendem-se como tecnologias em saúde: medicamentos, equipamentos e procedimentos técnicos, sistemas organizacionais, educacionais, de informação e de suporte e os programas e protocolos assistenciais, por meio dos quais a atenção e os cuidados com a saúde são prestados à população.

A ATS auxilia o gestor a tomar a melhor decisão do ponto de vista da custo-efetividade da tecnologia a ser incorporada. É uma forma de investigação multidisciplinar que se baseia na avaliação crítica da validade das pesquisas clínicas realizadas com a nova tecnologia. É uma ferramenta de grande utilidade para gestores, pois oferece subsídios técnicos para embasar decisões em saúde..


 

Objetivo

De um modo geral, capacitar profissionais de nível superior para a realização de Avaliações de Tecnologias em Saúde e de Avaliações Econômicas em Saúde.

Especificamente, equipar os profissionais que buscam este conhecimento com instrumentos necessários para que estes possam começar suas próprias pesquisas, trabalhar nos diversos setores que demandam profissionais altamente especializados e com formação multidisciplinar.
Formar profissionais que possam desenvolver pesquisas na área, avaliar relatórios, realizar pareceres, etc.

A Avaliação de Tecnologias em Saúde objetiva, ainda, subsidiar as decisões políticas quanto ao impacto da tecnologia em saúde. Alguns autores conceituam esta nova área como um campo multidisciplinar de análise de políticas, que estuda as implicações clínicas, sociais, éticas e econômicas do desenvolvimento, difusão e uso da tecnologia em saúde.

O impacto da incorporação de novas tecnologias e a medicina baseada em evidências. Esses elementos são o norte para o curso de Econômica e Avaliação de Tecnologia em Saúde. A incorporação de novas tecnologias se relaciona com o equilíbrio econômico e financeiro da saúde pública e suplementar. O avanço da ciência e da biotecnologia deve caminhar ao lado da medicina baseada em evidências que oferece elementos para uma análise econômica na tomada de decisões para adoção de políticas públicas de saúde e na gestão de planos de saúde suplementar. As indústrias farmacêuticas possuem responsabilidade direta em relação ao acesso de medicamentos e no processo de incorporação de novas tecnologias em saúde. O curso oferece sólida formação para os gestores públicos e privados, para os profissionais da saúde e para os profissionais da área da indústria farmacêutica.

Trata-se de um novo campo de atuação, que, por sua natureza, é multidisciplinar. 

A área da saúde é alvo de investimentos em novas tecnologias para diagnóstico e tratamento de doenças. Com o envelhecimento populacional, a prevalência de doenças crônico-degenerativas tende a aumentar, exigindo dos sistemas de saúde do mundo inteiro investimentos constantes em novas formas de prevenção e tratamento.

O arsenal de novos produtos, equipamentos e procedimentos para diagnóstico e tratamento de doenças crescem de forma exponencial.
Esta realidade faz com que, a cada ano, torne-se mais difícil para o sistema de saúde fornecer ao usuário a intervenção mais eficaz disponível no mercado, em função das pressões colocadas sobre o sistema de saúde em relação ao aumento dos custos, à capacitação de recursos humanos, às necessidades de atualização dos instrumentos de regulação e certificação, e aos investimentos na infra-estrutura física.

Somado-se a isso, o cenário dos sistemas de saúde de diversos países, inclusive do Brasil, demonstra, por um lado, a elevação contínua dos gastos com saúde e, por outro, a restrição de recursos em saúde.

Tendo em vista este panorama, a Avaliação de Tecnologias em Saúde se apresenta como uma área estratégica e uma ferramenta para auxiliar os gestores a selecionar intervenções mais custo-efetivas para serem disponibilizadas ao novo modelo de gestão do SUS.
Considera-se tecnologia em saúde os medicamentos, equipamentos, procedimentos técnicos, sistemas organizacionais, educacionais e de suporte, programas e protocolos assistenciais, por meio dos quais a atenção e os cuidados com a saúde são prestados à população.
O que tem ocorrido, muitas vezes, é a má utilização destas tecnologias, gerando custos desnecessários para o sistema de saúde. Por exemplo, o uso de tecnologias que não dispõem de eficácia comprovada; assim como o uso de tecnologias sem efeito, ou com resultados que podem ser prejudiciais; bem como a baixa utilização daquelas tecnologias consideradas eficazes; tudo isso representa problemas que impedem a otimização dos recursos em saúde.

No mundo, a ATS surgiu nos anos 60 e tornou-se um instrumento importante para auxiliar a tomada de decisão dos gestores em saúde, assim como dos clínicos, dos chefes de serviços, das organizações de pacientes, do sistema judiciário e dos ministros de saúde. No Brasil, na década de 80, instituições governamentais de saúde abordaram esta questão, embora sem uma estruturação permanente. As instituições de ensino e pesquisa também se direcionaram para o campo da ATS, numa atuação crescente.

O objetivo da ação da ATS no Ministério da Saúde é institucionalizá-la no SUS, através da promoção e difusão de estudos prioritários, capacitação de gestores, formação de rede de ATS e cooperação internacional.

Desde 2003, no Conselho de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde (CCTI) do Ministério da Saúde, instituiu-se o Grupo de Trabalho Permanente em ATS, visando promover estudos em ATS de interesse para o Sistema Único de Saúde (SUS) e fortalecer o apoio à tomada de decisão sobre tecnologias em saúde.


DIFERENCIAL DO CURSO

A área de avaliação de tecnologia em saúde e economia da saúde é incipiente no Brasil, necessitando de profissionais altamente capacitados. Para isso, o curso oferece uma ampla e sólida formação acadêmica nas áreas de medicina, estatística, economia.

Público Alvo

Gestores públicos e privados.Profissionais da saúde e para os profissionais da área da indústria farmacêutica. Destinado aos profissionais de acesso público e privado da indústria farmacêutica. Profissionais com nível superior com interesse de formação da área de avaliação de tecnologia em saúde.
Profissionais com formação de nível superior que atuem em uma das três esferas da gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) ou na Saúde Suplementar.
Profissionais da área da Saúde e da Indústria Farmacêutica.Graduados em Economia, Medicina, Enfermagem, Farmácia, Estatística, Direito, Administração, Veterinária, Biomedicina, Biologia ou Odontologia e demais profissionais que tenham interesse na área.

Informações Adicionais

*O IPEBJ reserva-se no direito de não iniciar a turma caso o número mínimo de alunos não seja atingido. Neste caso, o valor da primeira parcela paga será devolvido integralmente. 

Etapas do Processo Seletivo:
- Preenchimento da solicitação de matrícula e envio do currículo pelo aluno
- Avaliação das informações do aluno pela instituição
- Entrevista pessoal, caso seja solicitada pela coordenação
- Feedback de aprovação ou reprovação enviado para o email do aluno
- Após confirmação de aprovação, o aluno deverá efetuar o pagamento do boleto bancário já gerado.


Após a conclusão dessa etapa, enviar pessoalmente ou via correio:
Relação de Documentos Obrigatórios:
Requerimento de matrícula preenchido e assinado. (Clique aqui para fazer o download do requimento).
Documento comprobatório de associação do aluno à Instituição conveniada, para concessão de desconto no Curso
Duas cópias autenticadas de:
Diploma de Graduação, devidamente registrado, obtido em curso superior reconhecido pelo Ministério da Educação, ou Certificado de Conclusão de Curso.

Duas cópias simples de:
Certidão de nascimento ou de casamento
CPF - Cartão de Inscrição na Receita Federal
RG - Cédula de Identidade ou Registro Nacional de Estrangeiro
Carteira de Reservista
Título de Eleitor
Comprovante de Residência
*Obs: Carteira de habilitação e carteira de registro profissional não serão aceitos como RG e CPF
02 fotos 3x4 recentes e coloridas

3 (três) vias do Contrato de Prestação de Serviços Educacionais (disponibilizado na Área Restrita)

Caso aprovado no processo seletivo, o Contrato de Prestação de Serviços Educacionais será disponibilizado na Área Restrita, no prazo de até 3 (três) dias úteis, que deverá ser assinado e rubricado em 3 (três) vias, e devolvido ao IPEBJ via correio, dentro de período estabelecido para as matrículas. No primeiro dia de aula, o aluno receberá sua via do contrato. A entrega dos documentos pessoais e do Contrato de Prestação de Serviços Educacionais são obrigatórios para confirmação da matrícula.

 

Programa

Duração: 24 meses
Aulas: 01 encontro presencial por mês (Sexta: 18h às 23h / Sábado: 8h às 18h)  


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

INTRODUÇÃO À ECONOMIA
- Introdução à microeconomia e introdução à macroeconomia

ECONOMIA DA SAÚDE E GESTÃO DE TECNOLOGIAS
- Políticas de saúde
- Economia da saúde e farmacoeconomia
- Políticas de gestão de tecnologia em saúde
- Aspectos éticos, legais e sociais da avaliação de tecnologias em saúde

EPIDEMIOLOGIA E SERVIÇOS DE SAÚDE
- Tópicos de epidemiologia
- Saúde pública, medicina baseada em evidências e efeitos das intervenções em saúde
- Busca de evidências na literatura e portais eletrônicos
- Introdução à avaliação de serviços de saúde

MÉTODOS EM AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIA EM SAÚDE
- Avaliação de tecnologias em saúde
- Desenhos de estudo para avaliação de tecnologias em saúde
- Medidas de qualidade de vida
- Revisão sistemática e metanálise e métodos estatísticos básicos para avaliação de tecnologias em saúde
- Consulta e uso de literatura científica

CUSTEIO E FINANCIAMENTO EM SAÚDE
- Conceitos básicos em economia da sáude
- Financiamento em saúde

CUSTOS EM SAÚDE
- Estudos de custos da doença
- Estudos de custos de programas de saúde
- Estudos de impacto orçamentário da incorporação de novas tecnologias

AVALIAÇÕES ECONÔMICAS EM SAÚDE
- Matemática financeira
- Análises de custo efetividade
- Análise de custo utilidade
- Análise de custo benefício
- Análise econômica em saúde
- Modelagem e tipos de modelos em avaliação econômica
- Tópicos avançados em avaliação econômica em saúde
- Incorporação de novas tecnologias no sistema de saúde
- Avaliação de tecnologias e avaliações econômicas:aplicações na tomada de decisões em saúde

GESTÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE NA ATENÇÃO BÁSICA GESTÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE EM HOSPITAIS SISTEMAS DE SAÚDE E AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE.
- Avaliação de tecnologias em saúde no Brasil e no contexto internacional

ÉTICA E BIOÉTICA EM SAÚDE

DIREITO DA SAÚDE JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE JUDICIALIZAÇÃO NO MINISTÉRIO DA SAÚDE: COMO A CONITEC PODE MUDAR A HISTÓRIA INCORPORAÇÃO DE TECNOLOGIAS E A SEGURANÇA DO PACIENTE ESTUDOS DE FASE IV - VIGILÂNCIA DAS TECNOLOGIAS INCORPORADAS USO DAS TECNOLOGIAS EM SAÚDE NO SISTEMA

METODOLOGIA CIENTÍFICA

DIDÁTICA DO ENSINO SUPERIOR

 

 

Investimento

25x de R$ 688,20

Descontos

Desconto por indicação: 5% a cada indicação que se matricular em qualquer curso de pós-graduação lato sensu.

Desconto para ex-aluno de pós-graduação do IPEBJ: 15%.

Descontos através de convênios. Clique aqui

 

Coordenadores

Carlos Alberto Kastein Barcellos

Advogado sócio do escritório Barcellos Advocacia. Profissional especializado na área do direito da saúde, biodireito e bioética. Graduado em ciência jurídicas e sociais pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Pós-graduado em Direito Médico e da Saúde pelo Instituto Paulista de Estudos Bioéticos e Jurídicos (certificação pelo Centro Universitário Barão de Mauá) e em Direito do Trabalho pelas Faculdades Metropolitanas Unidas. Mestre em Direito pela Universidade Metodista de Piracicaba e Pós-graduando em Bioética e Biodireito pelo Instituto Paulista de Estudos Bioéticos e Jurídicos. Professor Convidado e Coordenador de Cursos de Pós-Graduação no Instituto Paulista de Estudos Jurídicos e Bioéticos. Professor Convidado do Curso de Pós-Graduação em Direito Médico, Odontológico e Hospitalar da Escola Paulista de Direito. Membro da Associação Mundial de Direito Médico (World Association for Medical Law). Membro das Comissões de Bioética, Biodireito e Biotecnologia e de Direito Médico da Saúde da 12º Subsecção da OAB-Ribeirão Preto(2010-2013). 

Eliete Maia Gonçalves Simabuku

MBA em Economia e Avaliação de Tecnologias em Saúde Instituição FIPE . Pós-Graduação em Direito Médico e da Saúde Instituição: Centro Universitário Barão de Mauá - Ribeirão Preto - SP concluído em março/2009. Bacharelado em Direito Instituição: Universidade de Ribeirão Preto - Unaerp. Assessora Técnica na Secretaria Executiva da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologia no SUS - CONITEC - Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos - SCTIE - Ministério da Saúde - MS. Coordenadora e docente do Instituto Paulista de Estudos Bioéticos e Juridicos Ltda.

Tânia Mara Volpe Miele

Especialização em Bioéitca pela Universidade Federal de Lavras, UFLA, Brasil. Bacharel em Ciências Biológicas Modalidade Médica pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Barão de Mauá (1980) com habilitação em Patologia Clínica e Análises Clínicas; Possui graduação em Direito pela Universidade de Ribeirão Preto, SP (1997) com habilitação em Direito Privado; Especialista em Direito Médico, odontológico e da Saúde; Especialista em Ciências Forenses; Pós graduanda em Criminologia e Pós graduanda em Criminal Profiling; Sócia fundadora e diretora do IPEBJ - Instituto Paulista de Estudos Bioéticos e Jurídicos, editor responsável pela revista científica eletrônica Brazilian Journal of Forensic Sciences, Medical Law and Bioethics; Coordenadora Geral dos projetos de extensão e pós-graduação do IPEBJ Educacional; Idealizadora e coordenadora do FSI Brasil - Forensic Science Investigation - Unidade Privada de Estudo, Pesquisa e Extensão Investigativa na área Forense; Coordenadora da Comissão de Perícias Forenses da OAB/SP - Subsecção de Ribeirão Preto; Coordenadora da Comissão de Bioética, Biodireito e Biotecnologia da OAB/SP Subsecção de Ribeirão Preto; Ex-coordenadora da Comissão de Direito Médico e da Saúde da OAB/SP - Subsecção de Ribeirão Preto; Membro do Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Saúde Escola da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo FMRP-USP; Coordenadora da Comissão Jurídica da SBIOMAC - Sociedade Biomédica de Acupuntura; Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Enfermagem, Saúde Global, Direito e Desenvolvimento GEPESADES/USP. Membro da World Association for Medical Law; Membro da Sociedade Brasileira de Bioética; Membro do IBCCRIM - Instituto Brasileiro de Ciências Criminais.

Docentes

Altacílio Aparecido Nunes

Bolsista de Produtividade Desen. Tec. e Extensão Inovadora do CNPq - Nível 2 Atualmente é Bolsista de Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora do CNPQ - DT2 (01/03/2012 - 28/02/2015). Possui Doutorado em Medicina Tropical e Infectologia pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro e Mestrado em Pediatria pela Universidade Federal de Minas Gerais (2002). Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Itajubá/MG (1992). Tem especialização em pediatria e anestesiologia. Atualmente é Professor Doutor do Departamento de Medicina Social da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP). Ex- Diretor Clínico do Hospital Universitário da Universidade de Uberaba e da Unidade Básica de Saúde Escola da Universidade de Uberaba, ex- Professor adjunto do Departamento de Medicina Social e Preventiva da Universidade Federal do Triângulo Mineiro, ex-Professor de pediatria e anestesiologia do Curso de Medicina da Universidade de Uberaba. É revisor editorial convidado de vários periódicos científicos como Pediatric Pulmonology, Clinical Infectious Diseases, International Journal of STD and AIDS, Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical e Revista da Associação Médica do Rio Grande do Sul, Revista Brasileira de Epidemiologia, etc. Membro do Conselho Editorial da Revista da Associação Médica do Rio Grande do Sul (Revista AMRIGS). Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Pediatria, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde infantil, obesidade infantil, hipertensão arterial na infância, distúrbios nutricionais e metabólicos da infância, epidemiologia do HIV/AIDS, testes diagnósticos, epidemiologia de doenças infecciosas na infância. Atualmente é Coordenador do Núcleo de Avaliação de Tecnologias em Saúde do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP (NATS-HCFMRP/USP).

Carla Aparecida Arena Ventura

Possui graduação em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília (1993), graduação em Direito pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1998), especialização em Administração pela Universidade de São Paulo (2000), mestrado em Direito Internacional pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2001) e doutorado em Administração pela Universidade de São Paulo (2004). Com Livre Docência defendida em 2011, é Professor Associado do Departamento de Enfermagem Psiquiátrica e Ciências Humanas da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Desde 2008, atua como Coordenadora Executiva da Rede Global de Centros Colaboradores da OMS para o Desenvolvimento da Enfermagem e Obstetrícia e em abril de 2013 assumiu a Vice-Direção do Centro Colaborador da OMS para o Desenvolvimento da Pesquisa em Enfermagem sediado na Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. No início de 2014, foi contemplada com Bolsa da Comissão Fulbright para a realização de Cátedra em Direitos Humanos no Center for Civil and Human Rights/University of Notre Dame, EUA. Desde 2012, é Presidenta da Associação de Ex-Alunos do International Research Capacity-Building Program for Health Related Professionals to study the Drug Phenomenon in Latin America and the Caribbean (IRCBP) oferecido pela Organização dos Estados Americanos em parceria com o Center for Addictions and Mental Health (CAMH) da Universidade de Toronto, Canadá. Em 2012 também foi nomeada Presidenta da Conselho de Administração do Grupo de Sistemas vinculado à Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.Liderou a criação e é coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Enfermagem, Saúde Global, Direito e Desenvolvimento (GEPESADES). Possui experiência nas áreas de Direito Internacional Público e Privado, Direito Internacional da Saúde e Proteção Internacional dos Direitos Humanos, Saúde Internacional, Administração Pública e Metodologias Sistêmicas.

Carlos Alberto Kastein Barcellos

Advogado sócio do escritório Barcellos Advocacia. Profissional especializado na área do direito da saúde, biodireito e bioética. Graduado em ciência jurídicas e sociais pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Pós-graduado em Direito Médico e da Saúde pelo Instituto Paulista de Estudos Bioéticos e Jurídicos (certificação pelo Centro Universitário Barão de Mauá) e em Direito do Trabalho pelas Faculdades Metropolitanas Unidas. Mestre em Direito pela Universidade Metodista de Piracicaba e Pós-graduando em Bioética e Biodireito pelo Instituto Paulista de Estudos Bioéticos e Jurídicos. Professor Convidado e Coordenador de Cursos de Pós-Graduação no Instituto Paulista de Estudos Jurídicos e Bioéticos. Professor Convidado do Curso de Pós-Graduação em Direito Médico, Odontológico e Hospitalar da Escola Paulista de Direito. Membro da Associação Mundial de Direito Médico (World Association for Medical Law). Membro das Comissões de Bioética, Biodireito e Biotecnologia e de Direito Médico da Saúde da 12º Subsecção da OAB-Ribeirão Preto(2010-2013). 

Clarice Alegre Petramale

Diretora da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologia no SUS - CONITEC - Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos - SCTIE - Ministério da Saúde - MS.        

Cléa Regina de Oliveira Ribeiro

Possui graduação em Artes Plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado (São Paulo, 1976), graduação em Filosofia pela Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho (UNESP, 1984), mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC de São Paulo, 1997), doutorado em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (USP, 2002), pós-doutorado em Bioética pela Universidad Complutense de Madrid com Diego Gracia (2006/2007). Atualmente é docente da área de Ciências Humanas do Departamento de Enfermagem Psiquiátrica e Ciências Humanas da EERP/USP. Orienta alunos de graduação, especialização e pós-graduação. É revisor de periódicos nacionais e internacionais; pertence ao Editorial Board do periódico Nursing Philosophy. Tem experiência nas áreas de Ética e Bioética, focalizando temas como pessoa e consciência, autonomia, vulnerabilidade, intersubjetividade, tomada de decisão, ética em pesquisa, ensino de bioética, reflexão teórico-filosófica em saúde mental.

Darlene Caprari Pires Mestriner

Possui graduação em Ciências Farmacêuticas pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto Usp (1987); Especialização em Curso de Especialização Básico de Saúde Pública pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Usp (1991); Mestrado em Saúde na Comunidade pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Usp (2003); Ex-diretora em assistência farmacêutica da Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto; secretária adjunta da Secretaria Municipal da Saúde de Ribeirão Preto.Professora do Centro Universitário Barão de Mauá. Tem experiência na área de Farmácia, com ênfase em Saúde Pública. Atuando principalmente nos seguintes temas: Assistência Farmacêutica, Farmacêutico, Serviço Farmacêutico.

Eliete Maia Gonçalves Simabuku

MBA em Economia e Avaliação de Tecnologias em Saúde Instituição FIPE . Pós-Graduação em Direito Médico e da Saúde Instituição: Centro Universitário Barão de Mauá - Ribeirão Preto - SP concluído em março/2009. Bacharelado em Direito Instituição: Universidade de Ribeirão Preto - Unaerp. Assessora Técnica na Secretaria Executiva da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologia no SUS - CONITEC - Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos - SCTIE - Ministério da Saúde - MS. Coordenadora e docente do Instituto Paulista de Estudos Bioéticos e Juridicos Ltda.

Emanuele Seicenti de Brito

Felipe Dias Carvalho

É mestre em Ciências Médicas pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP), especialista em Farmácia Hospitalar pela Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar (SBRAFH), possui MBA em Administração de Organizações pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FUNDACE/FEARP-USP), sendo graduado em Farmácia pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Atualmente é Farmacêutico da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FCFRP-USP), Diretor da Seccional Ribeirão Preto do CRF-SP e membro do Conselho Editorial da Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços Saúde . Tem experiência em Gestão de Serviços de Saúde e em Farmácia Hospitalar.

Helaine Carneiro Capucho

é Doutoranda em Ciências pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto - USP, Mestre em Ciências Farmacêuticas pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto - USP, Especialista em Farmácia Hospitalar pela SBRAFH, graduada em Farmácia e Farmácia Industrial pela Universidade Federal de Ouro Preto, com curso de Farmácia Clínica pela Universidad de Chile. Foi Gerente de Riscos e Presidente do Comitê de Segurança do Paciente do Hospital das Clínicas da USP Ribeirão Preto por 5 anos (2007-2011). Presidente da SBRAFH para o biênio 2012-2013, é revisora ad hoc dos periódicos Revista Panamericana de Saúde Pública e Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada, e Editora-Chefe da Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde. É autora de livros e capítulos de livros em Segurança do Paciente e Farmacovigilância. É assessora técnica junto à Secretaria-Executiva da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS, Ministério da Saúde.

Luci Rodrigues da Silva

Farmacêutica, pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto/USP (1991). Possui mestrado em Saúde na Comunidade pela Universidade de São Paulo (2002) e especialização em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (1993). Atua na área de Vigilância Sanitária de Medicamentos e Serviços de Saúde.

Marco Aurélio Guimarães

Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo / FMRP-USP (1993), mestrado(1996) e doutorado(2000) pelo Departamento de Fisiologia da FMRP-USP. Docente do Departamento de Patologia e Medicina Legal da FMRP-USP desde 1998.Pós-doutorado em Identificação Humana na University of Sheffield - UK (2002). Atua nas áreas de Medicina Legal e Bioética. Desenvolve pesquisas na área de identificação humana, com enfoque em Antropologia Forense, sendo responsável pelo Laboratório de Antropologia Forense do Centro de Medicina Legal (CEMEL) da FMRP-USP. Atua nos cursos de Medicina, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Nutrição, Fonoaudiologia, Informática Biomédica, Odontologia e Direito. Orientador pleno do Programa de Pós-graduação do Departamento de Patologia e Medicina Legal da FMRP-USP. É membro da Câmara Técnica de Bioética do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP) e da Comissão de Bioética, Biodireito e Biotencologia da OAB Ribeirão Preto. Tornou-se Professor Associado (MSS) com Livre-Docência em Antropologia Forense em 2014 pelo Departamento de Patologia e Medicina Legal da FMRP-USP. Diretor do Serviço de Verificação de Óbitos do Interior (SVOI) a partir de 2014.  

Maria Eulália Lessa do Valle Dallora

Doutora em Ciências Médicas pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto USP. Mestre em Saúde na Comunidade pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP. Graduada em Estatistica pela Universidade Federal de São Carlos (1980). MBA em Gestão em Saúde pela Fundação Getúlio Vargas. MBA em Gestão Hospitalar pelo IAHCS Instituto de Administração Hospitalar e Ciências da Saúde - RS. É Diretora da Assessoria Técnica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto USP. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, Gestão em Saúde e Gestão Hospitalar.

Mauro Ribeiro Rosa - a confirmar

Possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade São Francisco (1987), graduação em Administração de Empresas pela Universidade São Francisco (1989), mestrado em Ciências Contábeis e Atuariais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1999) e doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Metodista de Piracicaba (2007). Atualmente é professor doutor do Centro Universitário Barão de Mauá, Docente do MBA do Centro Universitário Salesiano de São Paulo e da Universidade São Marcos. Tem atividades administrativas na área de Controladoria, com ênfase em GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO, atuando principalmente nos seguintes temas: gestão de ies, tecnologia da informação, erp, gestão de custos e controladoria.

Tânia Mara Volpe Miele

Especialização em Bioéitca pela Universidade Federal de Lavras, UFLA, Brasil. Bacharel em Ciências Biológicas Modalidade Médica pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Barão de Mauá (1980) com habilitação em Patologia Clínica e Análises Clínicas; Possui graduação em Direito pela Universidade de Ribeirão Preto, SP (1997) com habilitação em Direito Privado; Especialista em Direito Médico, odontológico e da Saúde; Especialista em Ciências Forenses; Pós graduanda em Criminologia e Pós graduanda em Criminal Profiling; Sócia fundadora e diretora do IPEBJ - Instituto Paulista de Estudos Bioéticos e Jurídicos, editor responsável pela revista científica eletrônica Brazilian Journal of Forensic Sciences, Medical Law and Bioethics; Coordenadora Geral dos projetos de extensão e pós-graduação do IPEBJ Educacional; Idealizadora e coordenadora do FSI Brasil - Forensic Science Investigation - Unidade Privada de Estudo, Pesquisa e Extensão Investigativa na área Forense; Coordenadora da Comissão de Perícias Forenses da OAB/SP - Subsecção de Ribeirão Preto; Coordenadora da Comissão de Bioética, Biodireito e Biotecnologia da OAB/SP Subsecção de Ribeirão Preto; Ex-coordenadora da Comissão de Direito Médico e da Saúde da OAB/SP - Subsecção de Ribeirão Preto; Membro do Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Saúde Escola da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo FMRP-USP; Coordenadora da Comissão Jurídica da SBIOMAC - Sociedade Biomédica de Acupuntura; Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Enfermagem, Saúde Global, Direito e Desenvolvimento GEPESADES/USP. Membro da World Association for Medical Law; Membro da Sociedade Brasileira de Bioética; Membro do IBCCRIM - Instituto Brasileiro de Ciências Criminais.

Vânia Cantarella Rodrigues

Graduada em Odontologia pela Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto da USP em 1985. Especialização em Saúde Pública (latu-sensu) pela Universidade de Ribeirão Preto em 1995.  Mestrado em Ciências Médicas, área de concentração Saúde na Comunidade (strictu-sensu) pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP, em 2002. Profissional autônomo de 1986 a 2000. Atividades de cirurgiã dentista na Secretaria Municipal de Saúde de Ribeirão Preto de 1992 a 1996 e a partir de março de 1996 exerce atividades inerentes à Vigilância Sanitária até o presente momento. Membro da Comissão de Avaliação de Projetos de Serviços de Saúde. Membro dos Comitês Municipal e Regional de Controle de Infecção; Membro convidado da Comissão de Controle de Infecção do Hospital das Clínicas; Membro do GIERSS - Grupo Interinstitucional de Estudos da Problemática de Resíduos de Serviços de Saúde, da Escola de Enfermagem da USP.

Wilson Mestriner Junior

Possui graduação em Odontologia pela Universidade de São Paulo (1986), mestrado em Odontologia (Reabilitação Oral) pela Universidade de São Paulo (1994) e doutorado em Odontologia (Reabilitação Oral) pela Universidade de São Paulo (1998). Atualmente é Professor Associado da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Odontologia, com ênfase em Saúde Coletiva, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde bucal, saúde indígena, fluoretos, eficiência mastigatória.

Palestrantes Convidados

Marco Aurélio Guimarães

Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo / FMRP-USP (1993), mestrado(1996) e doutorado(2000) pelo Departamento de Fisiologia da FMRP-USP. Docente do Departamento de Patologia e Medicina Legal da FMRP-USP desde 1998.Pós-doutorado em Identificação Humana na University of Sheffield - UK (2002). Atua nas áreas de Medicina Legal e Bioética. Desenvolve pesquisas na área de identificação humana, com enfoque em Antropologia Forense, sendo responsável pelo Laboratório de Antropologia Forense do Centro de Medicina Legal (CEMEL) da FMRP-USP. Atua nos cursos de Medicina, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Nutrição, Fonoaudiologia, Informática Biomédica, Odontologia e Direito. Orientador pleno do Programa de Pós-graduação do Departamento de Patologia e Medicina Legal da FMRP-USP. É membro da Câmara Técnica de Bioética do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP) e da Comissão de Bioética, Biodireito e Biotencologia da OAB Ribeirão Preto. Tornou-se Professor Associado (MSS) com Livre-Docência em Antropologia Forense em 2014 pelo Departamento de Patologia e Medicina Legal da FMRP-USP. Diretor do Serviço de Verificação de Óbitos do Interior (SVOI) a partir de 2014.  

Curriculo Lattes

Wilson Mestriner Junior

Possui graduação em Odontologia pela Universidade de São Paulo (1986), mestrado em Odontologia (Reabilitação Oral) pela Universidade de São Paulo (1994) e doutorado em Odontologia (Reabilitação Oral) pela Universidade de São Paulo (1998). Atualmente é Professor Associado da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Odontologia, com ênfase em Saúde Coletiva, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde bucal, saúde indígena, fluoretos, eficiência mastigatória.

Curriculo Lattes

 

Você tem interesse em realizar este curso futuramente? Faça seu cadastro.

Dados Pessoais

Endereço Residencial

Dados Acadêmicos

Sim Não





Sim Não



 

. Matrículas encerradas. Caso tenha interesse em se matricular neste curso para ingresso imediato, entre em contato pelo telefone +55 16 3043.5638 ou pelo e-mail ipebj@ipebj.com.br

FSI Brasil - Forensic Sciences Investigation: Primeira Unidade Privada de Estudo, Pesquisa e Extensão Investigativa com atuação na grande Área Forense no Brasil. Oferecendo os serviços de Pesquisa, Assistência Técnica (Perícia), Consultoria e Treinamentos, o FSI Brasil conta com laboratórios multidisciplinares em Ciências Forenses, Ciências Sociais Aplicada e Ciências Comportamentais

- Saiba Mais

Brazilian Journal Of Forensic Sciences, Medical Law and Bioethics: O Brazilian Journal of Forensic Sciences - BJFS, única revista na América Latina com essa abrangência, tem como objetivo divulgar e valorizar a produção científica em ciências forenses , direito médico, odontológico e da saúde e bioética, expondo as novas tecnologias e metodologias empregadas em diversas situações, incentivando a interação multidisciplinar no campo dessas ciências.

- Saiba Mais