A Qualidade da Radiografia e Erros Mais Comuns na Auditoria Radiográfica

Authors

  • Luciana Palmieri Fares Ferreira
  • Cristiane Escudeiro Santos

DOI:

https://doi.org/10.17063/bjfs4(3)y2015288

Keywords:

Auditoria, Auditoria, Qualidade, Qualidade, Radiografias, Radiografias, Imagem, Imagem

Abstract

Os exames radiográficos são rotineiramente encaminhados às operadoras de planos de saúde odontológicos para comprovação de alguns procedimentos. Cabe à auditoria técnica-analítica avaliar a conformidade ou não destes procedimentos através de radiografias de boa qualidade, sob pena de glosa do procedimento que dela depender. Este breve artigo tem a finalidade de relatar as falhas mais comuns que ocorrem nas radiografias apresentadas à operadora de plano de saúde odontológica e descrever se é aceitável ou não pela auditoria radiológica. Para tanto, foram analisadas 110 radiografias periapicais onde foram observados os seguintes aspectos: alongamento, encurtamento, alta densidade, baixa densidade, ranhura, halo ou meia lua. A baixa qualidade radiográfica dos tratamentos, causa alta incidência de retrabalhos, trazendo danos ao profissional assistente, à operadora e ao beneficiário, uma vez que, causam desperdícios de recursos financeiros os quais poderiam ser revertidos para todos.

Published

2015-04-28

How to Cite

Luciana Palmieri Fares Ferreira, & Cristiane Escudeiro Santos. (2015). A Qualidade da Radiografia e Erros Mais Comuns na Auditoria Radiográfica. Brazilian Journal of Forensic Sciences, Medical Law and Bioethics, 4(3), 288–293. https://doi.org/10.17063/bjfs4(3)y2015288

Issue

Section

Short Communication