Description of the Disasters in Mariana and Brumadinho from the Perspective of Criminal Expertise: a Systematic Review

Authors

  • Cristiane Aparecida dos Santos Faculdade Batista Mineira de Minas Gerais
  • Ingrid de Souza Pellegrini Departamento de Química, Universidade Federal de Minas Gerais, MG, Brasil
  • Reinaldo Moreira da Silva Seção Técnica de Biologia e Bacteriologia Legal, Polícia Civil de Minas Gerais, MG, Brasil
  • Sordaini Maria Caligiorne Seção Técnica de Biologia e Bacteriologia Legal, Polícia Civil de Minas Gerais, MG, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.17063/bjfs10(3)y2021350-375

Keywords:

Forensics, Brumadinho, Mariana, Forensic sciences

Abstract

Exploration activities for mineral resources generate tailings that lacks an appropriate place to be stored. In Brazil, tailings dams are seen as an alternative for storing this tailings. An association between errors in the implementation and in the inspection of this model causes failures that can trigger environmental disasters. The ruptures of tailings located in the cities of Mariana and Brumadinho caused damage to the environment and society. These happenings are classified as environmental crimes and as non-passer-by crimes (those that leave traces) according to the current Brazilian legal system. Because of this, the work of the criminal investigation becomes indispensable. Thus, the present study aimed, based on a systemic bibliographic review, to present and discuss the findings regarding the tragedies of Mariana and Brumadinho associated with expert work. It was noticed the absence of scientific publications that addressed this association. Only a report prepared by the Federal Police was found.

References

Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil. Distrito Federal, DF: Centro Gráfico, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm

Gomes FBR, Fagundes PBSS, Castro SRC, Ribeiro CBM. Avaliação de impactos ambientais do desastre de Brumadinho-MG pela proposição de valores de referência. Rev Mineira de Recursos Hídricos. 2020;1(1):1-20.

Borges, S. O desastre da barragem de rejeitos em Mariana, Minas Gerais: aspectos socioambientais e de gestão na exploração de recursos minerais. Rev Colombiana de Geografia. 2018;27(2):301-12. https://doi.org/10.15446/rcdg.v27n2.63008 DOI: https://doi.org/10.15446/rcdg.v27n2.63008

Shaene K, Thueler V, Órfão RB, Amarante M.S. Geologia aplicada a barragens. Rev Pesquisa e Ação. 2019;5(2):161-70.

Gomes NC, Santos RK, Cordeiro J, Duarte MBA, Quintão PL, Cordeiro JL. Caracterização das barragens de contenção de rejeitos situadas no estado de Minas Gerais. Rev Society and Development. 2019;8(2):3-25.

https://doi.org/10.33448/rsd-v8i2.683 DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v8i2.683

Ramos GMPD, Guerra MBBF, Santos RAS, Corrêa LMC, Coelho HF. Estudo dos requisitos necessários para a segurança em uma barragem de rejeitos. Rev Tecer. 2020:13(24):22-34.

Laurino BI, Preto CTJO, Ferreira Junior CP. Análise acidente em Brumadinho - Minas Gerais - utilização de rejeitos de barragens na construção civil. Brazilian Journal of Natural Sciences. 2020;3(1):231-8.

https://doi.org/10.31415/bjns.v3i1.86 DOI: https://doi.org/10.31415/bjns.v3i1.86

Cardozo FAC, Pimenta MM, Zingano AC. Métodos construtivos de barragens de rejeitos de mineração - uma revisão. HOLOS. 2016;32(8):77-85. https://doi.org/10.15628/holos.2016.5367 DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2016.5367

Schorn YAG, Fengler R. Barragens de rejeitos de minério e as condicionantes geotécnicas envolvidas. Rev Gestão e Desenvolvimento em Contexto. 2019;34-40.

César PSM, Carneiro R. A gestão ambiental em Minas Gerais: uma análise do sistema de gestão ambiental e do rompimento da barragem de rejeitos em Mariana. Rev. Livre de Sustentabilidade e Empreendedorismo. 2017;2(2);192-217.

Souza FM, Tarifa MR, Panhoca L. O rompimento da barragem de Mariana (MG): mudanças no disclosure ambiental do setor de mineração. Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade. 2019;8(1):172-87. https://doi.org/10.5585/geas.v8i1.13769 DOI: https://doi.org/10.5585/geas.v8i1.13769

Drummond MS, Rezende EN. O meio ambiente do trabalho nas mineradoras - uma análise axialógica a partir da tragédia do rompimento das barragens em Brumadinho/ MG e Mariana/MG sob viés da reforma trabalhista. Rev Direitos Sociais e Políticas Públicas. 2019;7(2).

https://doi.org/10.25245/rdspp.v7i2.571 DOI: https://doi.org/10.25245/rdspp.v7i2.571

Nascimento CEL, Scoralick MCL, Campos APA. Os limites entre o dolo eventual e a culpa consciente na responsabilidade dos envolvidos na tragédia de Brumadinho. Jornal Eletrônico Faculdades Integradas Vianna Júnior. 2019;11(2);1-10.

Ferreira WM, Ucker FE. Segurança em barragens de rejeitos: estudo avaliativo com enfoque na barragem de Brumadinho (MG). Rev Global Science and Technology. 2020;13(2):100-12.

Lacaz FAC, Porto MFS, Pinheiro TMM. Tragédias brasileiras contemporâneas: o caso do rompimento da barragem de rejeitos Fundão/ Samarco. Rev Brasileira Saúde Ocupacional. 2017;42(9):1-12. https://doi.org/10.1590/2317-6369000016016 DOI: https://doi.org/10.1590/2317-6369000016016

Coelho TP. Minério-dependência em Brumadinho e Mariana. Rev Lutas Sociais. 2018;22(41):252-67.

Cota GEM, Rosa NMG, Romeiro CE, Júnior APM. Aspectos legais da segurança de barragens de rejeitos de minério: implicações para a qualidade ambiental e usos múltiplos da agua no alto do Rio Das Velhas (MG). Rev Geographia. 2019;21(45):32-46. https://doi.org/10.22409/GEOgraphia2019.v21i45.a14478 DOI: https://doi.org/10.22409/GEOgraphia2019.v21i45.a14478

Souza JCF, Cruz LO, Neto AMM, Tritti RV, Duarte VCA, Souza JGM. Impacto do rompimento da barragem de Brumadinho nas ações das mineradoras Vale, CSN e Gerdau. Rev Ibérica de Sistemas e Tecnologia de Informação. 2020;27(3):261-72.

Brasil. Lei n. 12.334, de 20 de setembro de 2010. Diário Oficial da União, Brasília, 20 de setembro de 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12334.htm

Brasil. Resolução n. 4, de 15 de fevereiro de 2019. Diário Oficial da União, Brasília, 18 de fevereiro de 2019. Disponível em: https://www.in.gov.br/materia/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/63799094/do1-2019-02-18-resolucao-n-4-de-15-de-fevereiro-de-2019-63799056

Andrade SB, Vale VL, Saliba, APM, Nascimento NO. Avaliação da concentração de sólidos totais na bacia do Rio Paraopeba após ruptura da barragem I - Brumadinho. Rev Augustus. 2020;24(49):100-12.

https://doi.org/10.15202/1981896.2019v24n49p100 DOI: https://doi.org/10.15202/1981896.2019v24n49p100

Dias CA, Costa ASV, Guedes GR, Umbelino GJM, Sousa LG, Alves JH, Silva TGM. Impactos do rompimento da barragem de Mariana na qualidade da água do rio Doce. Rev Espinhaço. 2018;7(1):21-35. https://doi.org/10.5281/zenodo.3952940

Saadi A, Campos JCF. Rev Arquivo do Museu de História Natural e Jardim Botânico. Geomorfologia do caminho da lama: contexto e consequências da ruptura da barragem do Fundão (novembro 2015, Mariana-MG). 2015;24(1/2):63-103.

IBAMA. Laudo Técnico Preliminar: Impactos ambientais decorrentes envolvendo o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, Minas Gerais. Brasília, 26 de novembro de 2015. Disponível em: https://www.ibama.gov.br/phocadownload/barragemdefundao/laudos/laudo_tecnico_preliminar_Ibama.pdf

Bandini B, Vitória FC, Silva ER, Almeida JR. Desastre ambiental da Barragem de Fundão, MG - Análise de impactos socioambientais. Rev Internacional de Ciências.2019;9(3):2-15. https://doi.org/10.12957/ric.2019.40296 DOI: https://doi.org/10.12957/ric.2019.40296

Polícia Civil de Minas Gerais. Identificação das vítimas de Brumadinho. Disponível em: https://www.policiacivil.mg.gov.br/noticia/exibir?id=2349633&=PCMG-identifica-mais-duas-v%C3%ADtimas-da-barragem-em-Brumadinho. Acesso em: 25 de outubro de 2020.

Feliciano GG, Pasqualeto OQF. Meio ambiente laboral equilibrado: análise do caso Brumadinho. Rev Veredas do Direito. 2019;16(36):191-216.

https://doi.org/10.18623/rvd.v16i36.1556 DOI: https://doi.org/10.18623/rvd.v16i36.1556

Silva DL, Ferreira MC, Scotti MR. O maior desastre ambiental brasileiro: de Mariana (MG) a Regência (ES). Rev Arquivo do Museu de História Natural e Jardim Botânico. 2015;24(1/2):137-58.

Velho JA, Geiser GC, Espindula A. Ciências Forenses - Uma introdução às principais áreas da criminalística moderna. 3.ed. Campinas: Millenium, 2017.

Brasil. Lei n. 3.689, de 03 de outubro de 1941. Diário Oficial da União, Brasília, 13 de outubro de 1941. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del3689.htm

Brasil. Lei n. 12.030, de 17 de setembro de 2009. Diário Oficial da União, Brasília, 18 de setembro de 2009. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/lei/l12030.htm

Tocchetto D, Espindula A. Criminalística procedimentos e metodologias. 4. ed. Campinas: Millenium, 2019.

Stumvoll VP. Criminalística. 7.ed. Campinas: Millenium, 2019.

Brasil. Lei n. 9.605, de 12 de fevereiro de 19498. Diário Oficial da União, Brasília, 13 de fevereiro de 1998. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9605.htm

Brasil. Lei n. 12.305, de 2 de agosto de 2010. Diário Oficial da União, Brasília, 03 de agosto de 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm

Brasil. Decreto n. 7.404, de 23 de dezembro de 2010. Diário Oficial da União, Brasília, 23 de dezembro de 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20072010/2010/decreto/d7404.htm

Brasil. Lei n. 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Diário Oficial da União, Brasília, 09 de janeiro de 1997. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9433.htm

Brasil. Lei n. 6.938, de 31 de agosto de 1981. Diário Oficial da União, Brasília, 31 de agosto de 1981. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6938.htm

Sampaio RF, Mancini MC. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Rev Bras de Fisioterapia.2007;11(1):83-9. https://doi.org/10.1590/S1413-35552007000100013 DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-35552007000100013

Andréa GFM, Gundim WWD. Da necessária responsabilização do Brasil perante a Corte Interamericana de Direitos Humanos: caso Brumadinho. Brumadinho: da ciência à realidade. 2020;1:99-122.

Dias AO, Luz GS, Assunção VK, Gonçalves TM. Mariana, o maior desastre ambiental do Brasil: uma análise do conflito socioambiental. Rev Planejamento e Gestão Territorial. 2016:456-76. http://dx.doi.org/10.18616/pgt20 DOI: https://doi.org/10.18616/pgt20

Rodrigues AL, Feitosa PWG, Araújo RRC, Resende GS, Oliveira VLDM, Tavares WGS. Tragédia da Vale em Brumadinho-MG: aumento dos casos de dengue e chikungunya um ano após desastre. Rev Interfaces. 2020;8(2):536-45. https://doi.org/10.16891/2317-434X.v8.e2.a2020.pp536-545 DOI: https://doi.org/10.16891/2317-434X.v8.e2.a2020.pp536-545

Félix EBG, Feitosa PWG, Vieira JG, Rodrigues AL, Oliveira VLDN, Tavares WGS. O dano interior: repercussão psicossocial da tragédia da Vale na população de Brumadinho-MG. Rev Interfaces.2020;.(2):546-53. https://doi.org/10.16891/2317-434X.v8.e2.a2020.pp546-553 DOI: https://doi.org/10.16891/2317-434X.v8.e2.a2020.pp546-553

Domingos LMB, Castilho ZC. Avaliação de riscos à saúde humana e ecológica por rompimento da Barragem I da Vale em Brumadinho-MG. In: VII Jornada do Programa de Capacitação Institucional, 2019, Rio de Janeiro. p. 62-68.

Lima FW, Silva MM. Responsabilidade por danos ambientais: Os desastres de Brumadinho e Mariana - Minas Gerais. Rev Repositório.2019:1-23.

Rech AU, Santos SA. Desastres ambientais de Mariana e Brumadinho: a mitigação dos riscos pelo plano diretor do município. Rev Direito Ambiental e Sociedade. 2019;9(3):7-32.https://doi.org/10.18226/22370021.v9.n3.01 DOI: https://doi.org/10.18226/22370021.v9.n3.01

Laschefski K. Rompimento de barragens em Mariana e Brumadinho - MG: Desastres como meio de apropriação de territórios por mineradoras. In: XII ENASPEGE- A geografia brasileira na ciência-mundo: produção, circulação e apropriação do conhecimento. São Paulo. 2019.

https://doi.org/10.48075/amb.v2i1.23299 DOI: https://doi.org/10.48075/amb.v2i1.23299

Domingues E, Magalhães A, Freire D, Simonato TC, Nahas M. Impactos econômicos da paralisação de parte da produção mineral em Minas Gerais decorrentes do desastre de barragem em Brumadinho. Rev Eletrônica Gestão e Sociedade. 2020;14(38):3463-79. https://doi.org/10.21171/ges.v14i2.3175 DOI: https://doi.org/10.21171/ges.v14i2.3175

Minas Gerais. Laudo n. 1.070. Polícia Federal Superintendência Regional em Minas Gerais Setor Técnico-Científico. Minas Gerais, 2019. Disponível em: https://politica.estadao.com.br/blogs/faustomacedo/wpcontent/uploads/sites/41/2019/11/laudo_1070_2019_setec_sr_pf_mg_assinado-2.pdf

Cesár PSM, Carneiro R. O rompimento Da barragem em Mariana para as populações historicamente vulneráveis. Rev Livre de Sustentabilidade e Empreendedorismo. 2017;2(1):223-40.

Lopes MG, Zdanowicz JE. Cenários prospectivos: o caso do rompimento Barragem em Mariana. Rev do Desenvolvimento Regional. 2017;14(1):193-213. https://doi.org/10.26767/coloquio.v14i1.574 DOI: https://doi.org/10.26767/coloquio.v14i1.574

Miranda MG, Friede R, Rodrigies AC, Almeida DS. Cadê a minha cidade, oi o impacto da tragédia da Samarco na vida dos moradores de Bento Rodrigues. Rev Interações. 2017;18(2):3-12. https://doi.org/10.20435/inter.v18i2.1410 DOI: https://doi.org/10.20435/inter.v18i2.1410

Espindola HS, Nodari ES, Santos MA. Rio Doce: riscos e incertezas a partir do desastre de Mariana (MG). Rev Brasileira de História. 2019;39(81):141-62. https://doi.org/10.1590/1806-93472019v39n81-07 DOI: https://doi.org/10.1590/1806-93472019v39n81-07

Levy ES, Ceccarelli PR. Considerações sobre desamparo, angústia e trauma: a tragédia em Brumadinho. Brumadinho: da ciência à realidade. 2020;1:139-58.

Oliveira VV, Mendes CM. Entre o inteligível e o sofrimento: análise da comunicação oficial da Samarco e da Vale imediatamente após o rompimento das barragens em Mariana (2015) e Brumadinho (2019). In: XIII Congresso Brasileiro Cientifico de Comunicação e de Relações Públicas. São Paulo. 2019. Disponível em: https://abrapcorp.org.br/edicoes-anteriores/

Lamberty AO, Oliveira AA. Desastres ambientais e direito de acesso à informação pública na sociedade de risco: um olhar sobre o caso Brumadinho. In: Anais do quinto Congresso Internacional de Direito e Contemporaneidade: mídias e direitos da sociedade em rede. Santa Maria 2019. Disponível em: https://www.ufsm.br/app/uploads/sites/563/2019/09/3.3.pdf

Silva BV. Massacre de pessoas, violações de direito e desprezo pela sociedade civil local marcam a experiência em Brumadinho após o desastre criminoso da Vale. Rev Cientifica Foz. 2019;1(3):8-20.

Souza TJE. Os impactos ambientais decorrentes do rompimento da barragem em Mariana. Rev do Conselho Nacional do Ministério Público. 2018;7;139-45. Disponível em: https://doi.org/10.36662/revistadocnmp.i7.106 DOI: https://doi.org/10.36662/20182230

Sousa VS, Freitas VM. Revisão teórica sobre os desastres da mineração brasileira indícios em Mariana-MG (2015) e Brumadinho-MG (2019). In: VI Colóquio EStadual de Pesquisa Multidisciplinar/II Congresso Nacional de Pesquisa Multidisciplinar. Minas Gerais. Disponível em: https://publicacoes.unifimes.edu.br/index.php/coloquio/article/view/633

Freitas CM, Barcellos C, Asmus CIRF. Silva MA, Xavier DR. Da Samarco em Mariana à Vale em Brumadinho: desastres em barragens de mineraria e saúde coletiva. Rev Cadernos de Saúde Pública. 2019;35(5):1-7. https://doi.org/10.1590/0102-311x00052519 DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00052519

Rocha EM, Moraes LGM, Almeida LV, Dalvi LR, Adriato LC, Bergamaschi LK, Bernardina LSD, Pereira WB, Gimenez VG, Neto OC, Almeida HS. Impacto do rompimento da barragem em Mariana-MG na saúde da população ribeirinha da cidade de Colatina-ES. Rev Tempus. 2016;10(3):31-45. https://doi.org/10.18569/tempus.v10i3.1902 DOI: https://doi.org/10.18569/tempus.v10i3.1902

Pereira LF, Cruz GB, Guimarães RMF. Impactos do rompimento da barragem de rejeitos de Brumadinho, Brasil: uma análise baseada nas mudanças de cobertura da terra. Journal Of Environmental Analysis and Progress. 2019;4(2):122-9.

https://doi.org/10.24221/jeap.4.2.2019.2373.122-129 DOI: https://doi.org/10.24221/jeap.4.2.2019.2373.122-129

Lima FW, Rodrigues LL, Santos CA. Rompimento das barragens de Mariana e Brumadinho e seus impactos socioambientais. Rev Raizes no Direito. 2019;8(1):105-22. https://doi.org/10.29287/2318-2288.2019v8i1.p105-122 DOI: https://doi.org/10.29287/2318-2288.2019v8i1.p105-122

Marques BR. O esvaziamento da atividade típica de estado das agências reguladoras pela delegação do núcleo intangível do poder de policia e a corresponsabilidade estatal no dano superveniente: um estudo de caso da barragem de Brumadinho. Brazilian Journal of Development. 2019;5(10):20396-420. https://doi.org/10.34117/bjdv5n10-229 DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n10-229

Polícia Civil de Minas Gerais. Identificação das vítimas de Brumadinho. Disponível em: https://www.policiacivil.mg.gov.br/noticia/exibir?id=2292248&=Identificada-pela-PCMG-250ª-v%C3%ADtima-de-Brumadinho- Acesso em: 23 de novembro de 2020.

Ramos AM, Silva LS, Lima TG, Marques GL, Gontijo HM. Monitoramento da qualidade da agua do Rio Paraopeba e entornos após o rompimento da barragem de rejeitos em Brumadinho, Minas Gerais, Brasil. Research Society and Development. 2020;9(9):1-26. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7594 DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7594

Rezende E, Silva VVC. De Mariana a Brumadinho: a efetividade da responsabilidade civil ambiental para a adoção das medidas e evacuação. Rev do Direito. 2019;1(57):160-81. https://doi.org/10.17058/rdunisc.v1i57.13569 DOI: https://doi.org/10.17058/rdunisc.v1i57.13569

Freitas CM, Barcellos C, Heller L, Luz AMP. Desastres em barragens de mineração: lições do passado para reduzir riscos atuais e futuros. Rev Epidemiol. Serv. Saúde. 2019;28(1):1-3. https://doi.org/10.5123/S1679-49742019000100020 DOI: https://doi.org/10.5123/S1679-49742019000100020

Resende LCR, Júnior RRS, Espíndola GM. Sig para análise de áreas afetadas por rompimentos de barragens de rejeitos: caso Brumadinho - MG. In: Congresso Técnico Científico de Engenharia e da Agronimia. Palmas. 2019.

Soares AFS, Diniz PS, Silva LFM. Valoração dos danos aos recurso hídricos decorrentes dos resíduos da barragem de mineração em Brumadinho. Dom Helder Revista de Direito. 2020;3(6):191-217. https://doi.org/10.36598/dhrd.v3i6.1897 DOI: https://doi.org/10.36598/dhrd.v3i6.1897

Pires MA, Mourão L, Oliveira FB, Oliveira JAP. (Ir)responsabilidade social empresarial: uma avaliação do desastre de Mariana-MG. Rev de Administração Pública. 2020;54(5):1188-206. https://doi.org/10.1590/0034-761220190153x DOI: https://doi.org/10.1590/0034-761220190153x

Palavicini F, Juior JCVV. A responsabilidade penal em caso de desastres ambientais no Brasil. Acad. Dir. 2020;2:165-186.

https://doi.org/10.24302/acaddir.v2.2499 DOI: https://doi.org/10.24302/acaddir.v2.2499

Pretel AF, Vasconcelos PEA, Oliveira RCR. Responsabilidade penal ambiental e aplicabilidade de princípios constitucionais. Rev Bras. Gest. Amb. Sustent. 2020;7(15):69-82. https://doi.org/10.21438/rbgas(2020)071506 DOI: https://doi.org/10.21438/rbgas(2020)071506

Carvalho MS, Moreira RM, Ribeiro KD, Almeida AM. Concentração de metais no rio Doce em Mariana, Minas Gerais, Brasil. Rev Acta Brasiliensis. 2017;1(3):37-41.

https://doi.org/10.22571/Actabra13201758 DOI: https://doi.org/10.22571/Actabra13201758

Siqueira TBC. Apontamentos sobre os deveres e responsabilidade dos administradores e seu impacto sobre os acionistas. Brumadinho: da ciência à realidade. 2020;1:77-98.

Bechler RG, Bechler RR. (Des)Caminhos da Mineração em Brumadinho: presente passados e futuro. Rev Tempo e Argumento. 2019;11(26):548-59. https://doi.org/10.5965/2175180311262019548 DOI: https://doi.org/10.5965/2175180311262019548

Cota GEM, Junior APM, Barros LFP. Panorama das publicações científicas sobre o rompimento da Barragem de Fundão (Mariana-MG): subsídios às investigações sobre o maior desastre ambiental do país. Caderno de Geografia. 2019;29(57):306-33. https://doi.org/10.5752/P.2318-2962.2019v29n57p306-333 DOI: https://doi.org/10.5752/P.2318-2962.2019v29n57p306-333

Bandeira LS, Sousa DDG, Santos JAS. Desastres ambientais e impactos econômico-financeiros: o caso do rompimento das barragens em Mariana (2015) e Brumadinho (2019). In: X Congresso UFSC de Controladoria e Finanças. Santa Catarina. 2019 Disponível em: https://dvl.ccn.ufsc.br/10congresso/

Oliveira VC, Oliveira DC. A semântica do eufemismo: mineração e tragédia em Brumadinho. Rev Elétron Comun Info Inov Saúde. 2019;13(1):13-38.

https://doi.org/10.29397/reciis.v13i1.1783 DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v13i1.1783

Faria M, Botelho M. O rompimento da Barragem de Fundão em Mariana, Minas Gerais, Brasil: a incubação de uma Acidente Organizacional. Rev Portuguesa de Saúde Ocupacional. 2018:1-9. https://doi.org/10.31252/RPSO.01.06.2018 DOI: https://doi.org/10.31252/RPSO.01.06.2018

Vormittag EMPAR, Oliveira MA, Gleriano JS. Avaliação de saúde da população de Barra Longa afetada pelo desastre de Mariana, Brasil. Rev Ambiente e Sociedade. 2018;21:1-22. https://doi.org/10.1590/1809-4422asoc0122r2vu18l1ao DOI: https://doi.org/10.1590/1809-4422asoc0122r2vu18l1ao

Noal DS, Rabelo IVM, Chachamovick. O impacto da saúde mental dos afetados após o rompimento da barragem da Vale. Caderno de Saúde Pública. 2019;35(5):1-7. https://doi.org/10.1590/0102-311x00048419 DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00048419

Almeida IM, Filho JMJ, Vilela RAG. Razões para investigar a dimensão organizacional nas origens da catástrofe industrial da Vale em Brumadinho, Minas Gerais, Brasil. 2019;35(4):1-5. https://doi.org/10.1590/0102-311x00027319 DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00027319

Rei F. Ensaio para Brumadinho: Considerações pela resiliência. Brumadinho: da ciência à realidade. 2020;1:9-25.

Mendes CM, Oliveira VV. Rompimento das barragens em Mariana (2015) e Brumadinho (2019): regimes de interação no contexto das organizações. In: XXVIII Encontro Anual da Compós. Porto Alegre. 2019. Disponível em: http://www.compos.org.br/biblioteca/trabalhos_arquivo_EMTNGJ6XFPVFO0D2ZZ6T_28_7662_22_02_2019_10_50_55.pdf

Vieira DR, Silva MZ. Discursos e assimetrias na reparação do danos decorrentes do desastre da barragem da Samarco. Rev Psicologia Política. 2019;19:62-83.

Silva JGP, Boas MDV, Kenup RE, Goulart DR, Medeiros AD, Sacramento E, Henriques MP, Abreu AM, Rodrigues DA, Araújo LMN, Souza LS. In: XXIII Simpósio Brasileiro de Recursos Hidrícos. Foz do Iguaçu. 2019. Disponível em: https://www.cprm.gov.br/publique/Noticias/Analise-da-qualidade-da-agua-na-bacia-do-Paraopeba-apos-o-rompimento-da-barragem-foi-destaque-no-Simposio-Brasileiro-de-Recursos-Hidricos-6062.html

Barreto LC, Rosa DD, Mayorga C. Comunidades sujas de lama: da destruição a ressignificação e a resistência em Mariana/MG. Rev Psicologia e Sociedade. 2020;32:1-17. https://doi.org/10.1590/1807-0310/2020v32214674 DOI: https://doi.org/10.1590/1807-0310/2020v32214674

Sampaio CR, Fontes GS, Ferracioli P. Molduras de uma tragédia anunciada: enquadramentos de Mariana. Rev Intercom-RBCC. 2017;40(3):55-72. https://doi.org/10.1590/1809-5844201734 DOI: https://doi.org/10.1590/1809-5844201734

Silva AF, Faulheaber P. Bento Rodrigues e a memória que a lama não apagou: o despertar papa o patrimônio na (re)construção da identidade no contexto pós-desastre. Rev Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Huma. 2020;15(1):1-13. https://doi.org/10.1590/2178-2547-bgoeldi-2019-0126 DOI: https://doi.org/10.1590/2178-2547-bgoeldi-2019-0126

Passos FL, Coelho P, Dias A. (Des)territórios da mineração planejamento a partir do rompimento em Mariana, MG. Caderno Metropolitano. 2017;9(38):269-97. https://doi.org/10.1590/2236-9996.2017-3811 DOI: https://doi.org/10.1590/2236-9996.2017-3811

Resende RC, Amaral I. Comportamento legislativo e financiamento eleitoral: o caso do desastre da Samarco. Rev Psicologia Política. 2019;19:44-61.

Oliveira WK, Rohlfs DB, Garcia LP. O desastre de Brumadinho e a atuação da Vigilância em Saúde. Epidemiol. Serv. Saúde. 2019;28(1):1-3. https://doi.org/10.5123/S1679-49742019000100025 DOI: https://doi.org/10.5123/S1679-49742019000100025

Iannelli CM, Rigoletto IP. Brumadinho-riscos, impactos e perspectivas futuras. Brumadinho: da ciência à realidade. 2020;1:27-52

Trentinella T. A grama do vizinho é mais verde? Jurisdição estrangeira nos casos de danos ambientais de Mariana e Brumadinho. Brumadinho: da ciência à realidade. 2020;1:121-38.

Cardozo FAC, Ruver CA, Gehling WYY. Considerações a riscos geotécnicos em barragens de rejeitos. Rev Técno-lógica. 2020;1:1-14.

https://doi.org/10.17058/tecnolog.v24i1.14284 DOI: https://doi.org/10.17058/tecnolog.v24i1.14284

Silva MZ, Cayres DC, Souza LAM. Desastre socioambiental e termo de transação e ajustes de conduta (TTAC) como instrumento de política pública. Rev Civitas. 2019;19(2):464-88. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2019.2.30227 DOI: https://doi.org/10.15448/1984-7289.2019.2.30227

Zhouri A, Valencio N, Oliveira R, Zucarelli M, Laschefski K, Santos AF. O desastre da Samarco e a política das afetações: classificações e acoes que produzem o sofrimento social. Rev Ciência e Cultura. 2016;68(3):36-40. https://doi.org/10.21800/2317-66602016000300012 DOI: https://doi.org/10.21800/2317-66602016000300012

Barcelos T B. Transformados por Brumadinho. Rev Criminalística e Medicina Legal. 2019;4(1). Disponível em: http://revistacml.com.br/v-4-n-1-2019/

Published

2021-06-14

How to Cite

Aparecida dos Santos, C., de Souza Pellegrini, I., Moreira da Silva, R., & Caligiorne, S. M. (2021). Description of the Disasters in Mariana and Brumadinho from the Perspective of Criminal Expertise: a Systematic Review. Brazilian Journal of Forensic Sciences, Medical Law and Bioethics, 10(3), 350–375. https://doi.org/10.17063/bjfs10(3)y2021350-375