Uma Marca Volpe Miele
CONTATO
Role para baixo

PESQUISA

O Departamento de Pesquisa Científica do IPEBJ, em parceria com o FSI-BRASIL e com a FICC ACADEMY, bem como articulado ao GEP-Forense (Grupo de Estudos e Pesquisas em Ciências Forenses) tem escopo principal a realização de estudos e pesquisas voltados à grande área forense e áreas afins.

PESQUISA

O Departamento de Pesquisa Científica do IPEBJ, em parceria com o FSI-BRASIL e com a FICC ACADEMY, bem como articulado ao GEP-Forense (Grupo de Estudos e Pesquisas em Ciências Forenses) tem escopo principal a realização de estudos e pesquisas voltados à grande área forense e áreas afins.

Considerando o contínuo avanço das Ciências Forenses, a crescente valorização das diversas áreas forenses na busca pela Justiça e, ainda, o surgimento de novas áreas, novas técnicas e novas metodologias forenses, a pesquisa científica é uma necessidade. Desta forma, nosso Departamento de Pesquisa Científica empreende esforços para contribuir com o desenvolvimento e a inovação forenses, buscando compreender a legislação, os padrões técnicos e as necessidades práticas envolvidas no trabalho forense.

Entre outros, os principais enfoques atuais de novo Departamento de Pesquisa Científica são:
- Desenvolvimento de manuais de referência forense;
- Desenvolvimento de métodos forenses contextualizados no contexto brasileiro;
- Estudos de legislação internacional comparada;
- Estudos sobre padrões técnicos forenses;
- Estudos sobre novas áreas de atuação pericial forense;
- Inovação educacional forense.

GEP-Forense

O GEP-Forense (Grupo de Estudos e Pesquisas em Ciências Forenses) é um grupo de estudos e pesquisas do IPEBJ, voltado à grande área forense e áreas afins. Funciona como um grupo de discussões, prioritariamente digital, de perfil multidisciplinar e plural. Atualmente, o GEP-Forense somente aceita participantes convidados.

Ossos e Direitos Humanos

O IPEBJ conta com o NAF/OL, Núcleo de Antropologia Forense e Odontologia Legal aplicadas ao estudo, pesquisa e perícia forense correlacionadas a violações de Direitos Humanos, ligado ao Laboratório de Anatomia, Odontologia Legal e Antropologia Forense do IPEBJ. O foco do NAF/OL é a identificação humana como elemento de realização de direitos fundamentais, resolução de conflitos sucessórios e outras questões, inclusive históricas e culturais.

Programa de Monitoria e Estágio em Docência

Destinado principalmente a alunos de pós-graduação do IPEBJ, o Programa de Monitoria e Estágio em Docência seleciona monitores para acompanhamento de pesquisas, docentes e aulas, no sentido de adquirirem experiência acadêmica prática. A Coordenação Acadêmica define semestralmente a disponibilidade de vagas voluntárias, critérios de seleção e eventuais bolsas, abrindo oportunidades de uma experiência supervisionada na área acadêmica forense.

Revista Científica

O IPEBJ conta com uma revista científica intitulada Brazilian Journal of Forensic Sciences, Medical Law and Bioethics (BJFS) – ISSN 2237-261X. A Revista está aberta para a submissão de artigos em fluxo contínuo. Mais informações

Livros

O IPEBJ conta com um selo editorial registrado na Câmara Brasileira do Livro, tendo como intuito a publicação de livros voltados à grande área forense e áreas afins.

Livros já publicados com o selo IPEBJ:
“O Que Esperar da Faculdade de Direito” (Gustavo D’Andrea, 2015)
- Ebook (formato Kindle): Acessar Link
- Livro impresso: Acessar Link

“Saúde e Direitos Humanos: Violência, Cuidado e Transformações” (vários autores, 2019)
- Ebook gratuito (formato PDF): Acessar Link

“Profiling Criminal: Introdução à análise comportamental no contexto investigativo” (Tânia Konvalina, 2020)
- Livro impresso: Acessar Link

PROFCRIM-I

Sistema de Gestão de Evidências em Profiling Criminal

Apresentação

Profiling Criminal é um campo de estudo e atuação ainda incipiente no Brasil. Embora haja esforços para o desenvolvimento de programas de formação e publicações sobre o assunto, os profilers brasileiros geralmente se encontram ancorados em teorias e métodos desenvolvidos em outros países. Com sua extensão de dimensões continentais e um contexto sociocultural propício à frequência e agravamento da criminalidade, a comunidade crescente de profilers no Brasil carece de apoio metódico ao seu trabalho.

Há vários anos, no Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento do Instituto Paulista de Estudos Bioéticos e Jurídicos (IPEBJ) vinha sendo desenvolvido gradualmente a compilação de elementos que pudessem embasar métodos brasileiros para o Profiling Criminal. Porém, devido à urgente demanda de profissionais da área e de estudantes e pesquisadores com linhas de pesquisa voltadas ao tema, foi necessário publicarmos uma parte do material desenvolvido, correspondente ao processo de gestão de inputs criminológicos, que é fundamental em todo o trabalho dos profilers. Nessa fase, o profiler compila e organiza o máximo possível de informações direta ou indiretamente racionadas a uma situação forense.

A partir da gestão dos inputs, da maneira apresentada neste manual, o profiler poderá aplicar qualquer método consagrado de Profiling Criminal, seja este de caráter indutivo ou dedutivo. O presente sistema de gestão de inputs criminológicos — que podemos referir também como sendo um Sistema de Gestão de Evidências ou usar seu nome comercial PROFCRIM-I — não prescinde de outros dados especializados que possam se fazer necessários e que possuem regulação própria, tais como diagnósticos, avaliações ou pareceres técnicos. Por outro lado, o PROFCRIM-I é um valioso método para compilação de informações correlacionadas a uma situação forense, observáveis por profilers de qualquer formação, seja por seu contato direto com um fato, seja por meio de depoimentos ou documentos.

Importância da Gestão de Evidências

Um Sistema de Gestão de Vidências (SGV ou, pela sigla em inglês, EMS, significando “Evidence Management System” é procedimento fundamental para tomada de decisões mais precisas e minimização de riscos de perda de informações, omissões e vieses forenses (“forensic biases”).

No campo do Profiling Criminal, um SGV traz vantagens significativas para o trabalho investigativo. Segundo estudo realizado pelo Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento do IPEBJ, em parceria com a FICC Academy, foram identificadas vantagens operacionais da Psicologia Investigativa frente às decisões no processo investigativo, com destaque para a SGV como embasamento para o controle técnico de informações relevantes.

Baixe o whitepaper “Gestão de Evidências e Profiling Criminal na Operacionalização de Investigações”, onde é possível compreender a inter-relação entre SGV e Profiling Criminal.



Acesso ao PROFCRIM-I

O PROFCRIM-I está em fase de validação pelos membros internacionais da FICC Academy, para posterior diagramação e publicação e estará disponível para compra em breve.

01.